quinta-feira, abril 02, 2015

Anemia Falciforme

Olá mamães e papais, hoje a postagem aqui do "Club" será voltada para um assunto que pouco é abordado no nosso meio da maternidade: Anemia Falciforme.
Vocês sabem o que é a anemia falciforme?
Para quem não sabe, a anemia falciforme é uma doença hereditária (passa de pais para os filhos) que é caracterizada pela alteração dos glóbulos vermelhos, tornando-os parecidos com uma foice, por isso dá-se o nome de falciforme.
Tudo isso acontece porque a célula tem sua membrana alterada e rompem-se com mais facilidade, e assim causando a anemia. A hemoglobina, que transporta o oxigênio e dá a cor aos glóbulos vermelhos, é essencial para a saúde de todos os órgãos do corpo. Essa condição é mais comum em indivíduos da raça negra. No Brasil, representam cerca de 8% dos negros, mas devido à intensa misturas de raças, de povos de diferentes etnias, historicamente ocorrida no país, pode ser observada também em pessoas de raça branca ou parda.
SINTOMAS
A anemia pode se manifestar de várias maneiras em cada indivíduo. Uns de formas mais leves e outros com um ou mais sintomas. Os sintomas geralmente ocorrem por volta dos 12 meses da criança. Vamos ver abaixo alguns sintomas da anemia falciforme:
  • Crise de dor: é o sintoma mais freqüente da doença falciforme causado pela obstrução de pequenos vasos sanguíneos pelos glóbulos vermelhos em forma de foice. A dor é mais frequente nos ossos e nas articulações, podendo, porém atingir qualquer parte do corpo. Essas crises têm duração variável e podem ocorrer várias vezes ao ano. Geralmente são associadas ao tempo frio, infecções, período pré-menstrual, problemas emocionais, gravidez ou desidratação;
  • Icterícia (cor amarela nos olhos e pele): é o sinal mais frequente da doença. O quadro não é contagioso e não deve ser confundido com hepatite. Quando o glóbulo vermelho se rompe, aparece um pigmento amarelo no sangue que se chama bilirrubina, fazendo com que o branco dos olhos e a pele fiquem amarelos;
  • Síndrome mão-pé: nas crianças pequenas as crises de dor podem ocorrer nos pequenos vasos sanguíneos das mãos e dos pés, causando inchaço, dor e vermelhidão no local;
  • Infecções: as pessoas com doença falciforme têm maior propensão a infecções e, principalmente as crianças podem ter mais pneumonias e meningites. Por isso elas devem receber vacinas especiais para prevenir estas complicações. Ao primeiro sinal de febre deve-se procurar o hospital onde é feito o acompanhamento da doença. Isto certamente fará com que a infecção seja controlada com mais facilidade;
  • Úlcera (ferida) de Perna: ocorre mais frequentemente próximo aos tornozelos, a partir da adolescência. As úlceras podem levar anos para a cicatrização completa, se não forem bem cuidadas no início do seu aparecimento. Para prevenir o aparecimento das úlceras, os pacientes devem usar meias grossas e sapatos;
  • Sequestro do Sangue no Baço: o baço é o órgão que filtra o sangue. Em crianças com anemia falciforme, o baço pode aumentar rapidamente por sequestrar todo o sangue e isso pode levar rapidamente à morte por falta de sangue para os outros órgãos, como o cérebro e o coração. É uma complicação da doença que envolve risco de vida e exige tratamento emergencial.
Como saber se sofro da anemia falciforme?
A detecção é feita através do exame eletroforese de hemoglobina. O teste do pezinho, realizado gratuitamente antes do bebê receber alta da maternidade, faz a detecção precoce de hemoglobinopatias, como a anemia falciforme.
Como tratar a anemia falciforme?
Quando a doença for detectada, o bebê deve ter acompanhamento médico adequado baseado num programa de atenção integral. Nesse programa, os pacientes devem ser acompanhados por toda a vida por uma equipe com vários profissionais treinados no tratamento da anemia falciforme para orientar a família e o doente a descobrir rapidamente os sinais de gravidade da doença, a tratar adequadamente as crises e a praticar medidas para sua prevenção.
Bom mamães e papais, nunca é demais saber um pouco mais não é verdade?! Está vendo como é de extrema importância ser feito o teste do pezinho no seu bebê?  Se na maternidade onde ele nasceu não fizer, não deixe de levar ao um posto de saúde mais próximo da sua casa!
Beijos e até a próxima postagem...
Camila Alvarenga

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Tecnologia do Blogger.

Quem Faz...

Quem Faz...
Olá, me chamo Camila, sou casada, mãe de duas preciosidades: o Davi e a Sarah! Aqui compartilho tudo aquilo que faz parte desse universo tão colorido e ao mesmo tempo tão complexo... bem vindo ao "Clube da Maternidade"

Postagens Recentes